BLOG

Etarismo: o que líderes e empresas podem fazer para combater?

O termo “etarismo” refere-se à discriminação baseada na idade, um fenômeno preocupante que ainda persiste em muitas empresas. Essa forma de discriminação pode se manifestar de várias maneiras, desde a recusa em contratar profissionais mais velhos até a promoção preferencial de funcionários mais jovens, passando pela demissão ou aposentadoria forçada de trabalhadores mais experientes. Sem dúvidas, esse é um problema sério que precisa ser enfrentado pelas organizações, pois não apenas prejudica os profissionais mais velhos, mas também impacta negativamente as empresas como um todo.

Um dos principais aspectos a serem considerados é o envelhecimento da população brasileira. Com o aumento do número de pessoas com mais de 50 anos buscando trabalho ou permanecendo no mercado de trabalho por mais tempo, o etarismo se torna uma preocupação crescente. Infelizmente, muitos empregadores tendem a privilegiar os candidatos mais jovens, deixando de reconhecer o valor e a experiência dos profissionais mais velhos.

Essa atitude pode ser prejudicial tanto para as empresas quanto para os próprios profissionais mais velhos. Afinal, as empresas perdem a oportunidade de contar com colaboradores experientes, capazes de trazer soluções criativas e inovadoras para a organização. Além disso, uma cultura de exclusão pode dificultar a atração e retenção de talentos diversificados, o que pode afetar negativamente a reputação da empresa no mercado. Ainda mais, prejudica a troca de ideias, a diversidade de pensamentos e a maneira de enxergar e enfrentar desafios dentro da empresa.

Para combater o etarismo no ambiente de trabalho, é fundamental promover uma cultura inclusiva que valorize a diversidade de idade, experiência e perspectivas. Isso pode ser alcançado por meio de várias estratégias:

Sensibilização e conscientização: as empresas devem implementar programas de conscientização para destacar os impactos negativos do etarismo e promover a valorização da diversidade de idade.

Políticas inclusivas: é essencial que as empresas implementem políticas que garantam oportunidades iguais para todos os funcionários, independentemente da idade. Isso inclui políticas de recrutamento, avaliação de desempenho e promoção baseada no mérito.

Mentoria e coaching: incentivar programas de mentoria e coaching intergeracionais pode promover a troca de conhecimentos e habilidades entre funcionários de diferentes idades.

Flexibilidade no trabalho: oferecer facilidades e opções de trabalho (como horários flexíveis ou trabalho remoto) pode ajudar a acomodar as necessidades dos funcionários mais velhos e promover um ambiente de trabalho inclusivo.

Campanhas de recrutamento inclusivas: as empresas devem adotar práticas de recrutamento que garantam que todas as faixas etárias sejam consideradas para as vagas disponíveis.

Promoção da diversidade na liderança: é importante assegurar que haja representação de diferentes faixas etárias na liderança da empresa, para que as necessidades e perspectivas dos funcionários mais velhos também sejam levadas em consideração nas decisões empresariais.

Combater o etarismo nas empresas requer um compromisso real com a promoção da diversidade e inclusão. Os líderes e gestores devem estar dispostos a reconhecer e enfrentar esse problema, implementando políticas e práticas que garantam que todos os funcionários sejam valorizados e respeitados, independentemente da idade.

COMPARTILHE!
CONFIRA MAIS POSTS

O CONTRATO ATITUDINAL COMO ESTRATÉGIA DE LIDERANÇA DA EQUIPE 

Descubra como potencializar o desempenho da sua equipe! Aprenda a gerenciar a diversidade e a lidar com as diferenças individuais com habilidade. Saiba como criar um contrato comportamental para estabelecer expectativas claras e fortalecer a identidade do seu time. Aumente o comprometimento e promova o sucesso em conjunto.

Leia mais >