Blog

Você é líder ou gestor?

Postado dia 19/08/2019
Continue Lendo Como evitar uma comunicação agressiva

*Por Tino Viana

Você é um líder ou gestor? É bem comum em nossa caminhada pelas empresas encontrarmos com supostas lideranças que na verdade são gestores. Mas, afinal, você sabe qual é a diferença entre ser líder e ser gestor?

Liderar uma equipe é mobilizá-la para a ação. É fazer com que as pessoas ajam voluntariamente, participativas, motivadas, querendo atingir um determinado objetivo, resultados concretos.

Uma corrente teórica diz que uma pessoa “gera liderança” sobre outras, quando ela consegue satisfazer desejos conscientes ou inconscientes de outras.

Poderemos pensar em vários exemplos de líderes, os quais aprovamos ou não, como Hitler, Sadam Hussein, Martin Luther King, Getúlio Vargas, o papa católico e tantas outras pessoas que fizeram com que equipes ou massas estivessem mobilizadas e motivadas para atingirem uma determinada meta.

Mas, no dia-a-dia, encontramos lideranças e nem sempre percebemos. Em grupos escolares, é muito comum um estudante liderar outros, para benfeitorias (peças de teatro, trabalhos escritos, entre outros) ou para ‘brincadeiras’ reprováveis (quebrar janela da escola, destruir carteiras,…).

Repare em seu ambiente de trabalho aquelas pessoas que são sempre “bem vindas” em rodas de conversa, frequentemente convidadas para desempenhar determinadas atividades, que têm suas ideias raramente questionadas. São pessoas que geram liderança sobre outras, mesmo que esta liderança seja situacional ou passageira.

Não era à toa que certos artistas (de teatro, televisão, música) eram convidados para participarem de campanhas políticas em época de eleição. Uma vez que elas geravam liderança sobre seus fãs, eram fortes possíveis formadores de opinião, às vezes direcionando uma massa a votar em determinado candidato, como se ela pensasse: “Se ele faz campanha para esse candidato é porque esse candidato deve ser bom…”

Muitas vezes confunde-se liderança com comando. Um gestor pode ser um líder (gerar liderança sobre sua equipe) como não (ser odiado, boicotado). E nem sempre o líder tem um posto de comando.

Nós estamos falando aqui da mobilização, da motivação, da persuasão para a ação. Mas consideremos um gestor que gera liderança sobre sua equipe.

Além desses requisitos de liderança, ele também tem funções técnicas, gerenciais, como planejamento, acompanhamento das atividades e dos profissionais, motivação, treinamento, checagem de resultados, ações corretivas, entre outras.

O esperado é que gestores de equipes sejam, também, seus líderes, não apenas administrem a rotina, mas que consigam influenciar os liderados para a ação, o foco no na entrega e no resultado e a qualidade de vida no trabalho.

________

Conheça o programa de desenvolvimento de lideranças da Duomo Educação CorporativaClique aqui.

Referências

HERSEY, Paul; BLANCHARD, Kenneth. Psicologia para Administradores de Empresas. São Paulo: EPY, 1947.

KRAUSZ, Rosa R. Trabalhabilidade. São Paulo: Nobel, 1999.

KRAUSZ, Rosa R. Compartilhando o poder nas organizações. São Paulo: Nobel, 1991.

MOSCOVICI, Fela. Desenvolvimento Interpessoal. Rio de Janeiro: José Olympio, 1998.

MOSCOVICI, Fela. Equipes Dão Certo. Rio de Janeiro: José Olympio, 1996.

RIVIÈRE, Enrique P. O Processo Grupal. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colha resultados

Solicite um orçamento

Solicite um orçamento