Blog

Vieses Inconscientes: como interferem nas organizações?

Postado dia 01/02/2021
Continue Lendo Tendências em desenvolvimento organizacional

Desde pequenos, somos expostos a uma infinidade de situações que moldam nossos comportamentos, como a cultura local, nossa família, percepção do mundo e a sociedade. 

Noções de certo e errado, entre tantas outras, são passadas diariamente e se tornam filtros pelos quais enxergamos o mundo e as pessoas ao redor. 

As escolhas diárias, incluindo as realizadas dentro das organizações, são feitas com base nesses pré-julgamentos, os quais são chamados de vieses inconscientes. Eles são involuntários e, geralmente, não se é consciente de como eles afetam cada um.

Em uma empresa, identificar e trabalhar esses vieses desde os processos seletivos com os colaboradores é a chave para equipes mais diversas, transparentes, engajadas e inovadoras.

Muitas vezes esses vieses se transformam em favoritismo. Em processos de sucessão, eles tendem a favorecer determinados grupos de que se é parte, por exemplo, da mesma faculdade ou empresa anterior. 

Além disso, mesmo com uma revisão consciente dos processos e procedimentos internos de atração, seleção e avaliação para que se vençam barreiras que reforçam os preconceitos, é preciso tomar consciência também sobre os próprios vieses e como eles afetam escolhas e decisões. 

Quebrar esses paradigmas e lidar com as diferenças nem sempre é fácil, exige muita disciplina e treinamento, que devem ser promovidos dentro da organização para tornar o ambiente mais inclusivo. 

Como os vieses inconscientes aparecem nos processos seletivos e de sucessão?

Um estudo feito pela Universidade da Pensilvânia em 1998 e atualizado em 2016, apontou que nos baseamos apenas nas experiências profissionais anteriores na hora dos processos seletivos.

Ou seja, a chance de contratar um colaborador que dê match com a empresa é de apenas 16%, os outros 84% são chances enormes de errar. 

No entanto, se pegarmos os perfis mais aderentes na hora do processo seletivo, baseados em dados e fatos, a chance de obter resultados é muito maior. Além disso, a tomada de decisão acontece sem que os vieses inconscientes interfiram nas escolhas. 

Já nos processos de sucessão, os vieses aparecem quando tendemos a escolher pessoas de grupos específicos, como por exemplo pessoas de uma determinada curso, de certo gênero e por aí vai. 

Para resolver esse conflito, o ideal seria olhar para as habilidades técnicas do candidato e não apenas utilizar o viés de afinidade. 

Como isso interfere no nosso dia a dia?

Em nossas relações, os vieses inconscientes interferem quando “selecionamos” pessoas com as quais nos identificamos para manter a proximidade.  Em contrapartida, muitas vezes não conhecemos a pessoa, mas temos receio de manter uma conversa ou uma relação de trabalho, pois em algum momento esses foram acionados. 

Os vieses inconscientes nunca serão eliminados da nossa cabeça, mas para que relações melhores sejam estabelecidas, é importante ter a consciência que eles estão presentes, reconhecer quais são eles e por fim, buscar compreender como esses pré conceitos estão interferindo na sua vida e em suas relações.  

Como eles interferem nas organizações?

Os vieses inconscientes refletem em toda a organização, resultando  em equipes  iguais e muitas vezes sem inovação. 

Além disso, não adianta ter colaboradores protagonistas, se todos pensam e agem igual entre si, é necessário estimular a diversidade para encontrar soluções inovadoras. 

Precisamos entender que lidar com as diferenças e esses vieses inconscientes não é uma tarefa fácil, mas identificar quais são esses vieses e trabalhá-los faz com que os colaboradores desenvolvam a habilidade de fazer escolhas imparciais. 

Para as empresas, essas escolhas sem a presença dos vieses inconscientes, torna os times mais inclusivos e geram maior impacto positivo nos negócios. 

Quais são os benefícios de trabalhar esses vieses inconscientes com os colaboradores?

Ter relações mais transparentes e menos enviesadas, melhorando a qualidade e a fluidez, fazendo com que as equipes se tornem ainda mais colaborativas e, com certeza, resultados mais relevantes e sustentáveis.

________

Entender que temos os vieses inconscientes, identificar quais são e trabalhar em cima deles é um passo muito importante para proporcionar empresas diversas, inclusivas e que impactem de maneira positiva no negócio. 

Aqui na Duomo, preparamos e apoiamos os colaboradores nesse processo de tomada de decisão imparcial.  Desenvolvemos treinamentos com o objetivo de auxiliar na gestão desses vieses inconscientes. 

Ficou interessado? Conheça nossas soluções e entre em contato conosco. Nos acompanhe no Instagram para ficar por dentro desse e de outros conteúdos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colha resultados

Solicite um orçamento

Solicite um orçamento