Blog

Teoria da maturidade

Postado dia 19/08/2019
Continue Lendo Chuva e Palavras

A Teoria da Maturidade, apresentada por Chris Argyris em Personality and Organization, é uma das muitas teorias que procuram explicar a natureza e comportamento humano. Segundo esta teoria, o desenvolvimento de uma pessoa processa-se ao longo de um intervalo contínuo de uma situação de imaturidade para uma situação de maturidade.

Segundo Argyris, para que as pessoas tornem-se maduras com o passar dos anos, sete mudanças precisam ocorrer.

  • Passam de um estado passivo (quando crianças) para um estado de crescente atividade (quando adultos);
  • Passam de um estado de dependência de outros (quando crianças) para um estado de relativa independência (como adultos);
  • Comportar-se de poucas maneiras (como crianças), sendo capazes de comportar-se de vários modos (quando adultos);
  • Possuem interesses dispersos, incertos e superficiais (enquanto crianças), mas desenvolvem interesses mais profundos e mais intensos (quando adultos);
  • Apresentam perspectiva de tempo muito curtas (quando criança) envolvendo apenas o presente, mas à medida que se tornam adultos e amadurecem, esta perspectiva de tempo aumenta, incluindo o passado e o futuro;
  • O indivíduo está subordinado a todo mundo (quando criança), passando para posições de igual ou superior (quando adult os);
  • Não tem consciência de si mesmo (quando criança), tornando-se consciente do seu “eu”, e capaz de controlá-lo (quando adulto).

Argyris conclui que estas mudanças se dão num contínuo do desenvolvimento saudável da persona-lidade, passando da “imaturidade” para a “maturidade”.

Estas tendências gerais nos dão parâmetros sobre a questão maturidade.
Precisamos levar em conside-ração que normas da cultura e da personalidade do indivíduo inibem e limitam a expressão e o crescimento máximo do adulto, havendo uma propensão em cami-nhar para o extremo “maturidade” com o avançar da idade. Argyris admite que pouca gente, ou talvez ninguém, chegue a alcançar a maturidade completa.

Observando esta teoria sob o ponto de vista adulto, uma pessoa madura caracteriza-se por ser ativa, independente, autoconfiante e de autocontrole. Pelo contrário, uma pessoa imatura é passiva, dependente, tem falta de confiança e sente necessidade de controle pelos outros.

Imaturidade

  • PassivoDependência
  • Poucos modos de comportamento
  • Interesses dispersos e superficiais
  • Perspectiva de tempo curta
  • Posição de subordinado
  • Falta de consciência de si

Maturidade

  • Ativo
  • Independência
  • Capaz de comportar-se de vários modos
  • Interesses mais profundos e intensos
  • Perspectiva de tempo longa (passado e futuro)
  • Posição igual ou superior
  • Consciência e controle de si

Em pesquisa realizada por Argyris examinando organizações industriais que determinavam o efeito que as práticas administrativas têm sobre o comportamento individual e o crescimento pessoal no ambiente de trabalho, constatou-se que o próprio funcionamento das organizações (em termos de especialização do trabalho, cadeia de comando, grau de delegação, grau de controle, etc), pode dificultar que os funcionários atinjam de forma natural um elevado grau de maturidade profissional.

Um exemplo disso é um ambiente em que o indivíduo possui controle mínimo sobre o seu espaço e são estimulados a comportarem-se de forma passiva, dependente e subordinada, levando-os a agir de forma imatura e não como um adulto maduro.

Ao analisar a maturidade de colaboradores para a lide-rança é importante considerá-la como sendo “a capacidade e a disposição das pessoas de assumir a responsabilidade de dirigir seu próprio comportamento”.

A análise da maturidade para a liderança e gestão de pessoas deve ser consi-derada somente em relação a cada tarefa a ser realizada.
Isso protege o gestor de jul-gar alguém como maduro ou imaturo no sentido total. Todas as pessoas apresentam uma tendência de ser mais ou menos maduras em relação a uma tarefa, função ou objetivo específico. De acordo com a maturidade, o gestor deve adequar seu estilo de liderança focando o desenvolvimento do colaborador levando-o para níveis mais altos de maturidade e consequentemente uma maior probabilidade e atingir seus resultados a médio e longo prazo de forma sustentável.

Maturidade é “a capacidade e a disposição das pessoas de assumir a responsabilidade de dirigir seu próprio comportamento”.

*Por Ione Nadolny – Texto adaptado do livro Psicologia para Administradores – Hersey e Blanchard

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colha resultados

Solicite um orçamento

Solicite um orçamento