Blog

Liderar na inovação é diferente

Postado dia 05/04/2021
Continue Lendo Liderança feminina: qual é o cenário dentro das organizações?

Tiago Cesario

Linda Hill, uma pesquisadora especializada no tema liderança, diz que para se criar uma equipe capaz de inovar constantemente devemos desaprender as noções convencionais de liderança.

Diz ela, que no cerne da criatividade há um paradoxo: você tem que deixar que as pessoas criem livremente, expondo seus talentos e ideias, ao mesmo tempo que tem que direcioná-las para um trabalho que seja realmente útil.

Para se criar uma equipe com grande potencial criativo, o papel do líder não é o de gerar  uma visão e motivar os outros a segui-la, mas sim transformar o seu grupo em uma comunidade, onde as pessoas querem e tem a habilidade necessária para gerar novas ideias.

Pensando nisso, para a construção do espírito de comunidade algumas perguntas devem ser respondidas:

  • Qual propósito deste grupo? Por que esse grupo existe?
  • Quais são os valores em comum? Alguns valores levantados pela pesquisadora são: metas ambiciosas, responsabilidade com a comunidade, colaboração e aprendizado.
  • E por fim, quais são as regras de engajamento? Isso diz respeito a como interagimos (com respeito, confiança) e como pensamos (questionando, olhando o todo).

Tendo deixado claro estes três itens o líder pode então se concentrar na construção de três competências organizacionais:

  • Atrito Criativo – a habilidade de gerar um portfólio de ideias a partir de discussão e debate, não apenas perguntando e ouvindo ativamente, mas também defendendo a ideia em que se acredita.
  • Agilidade Criativa – é a habilidade de testar e refinar este portfólio de ideias, a partir de rápida reflexão, ajustes e de tomar decisões integradoras.
  • Resolução Criativa – capacidade de decidir combinando ideias opostas para reconfigurá-las em novas combinações para produzir uma solução nova e útil.

Os resultados da pesquisa de Linda Hill mostram que em ambientes criativos respostas dadas anteriormente, não necessariamente levarão ao mesmo resultado. Não há soluções de prateleira, os líderes são os responsáveis, não por dar respostas certas, ou criar visões motivadoras, mas por criarem um espaço que permita que essas respostas emerjam do próprio grupo e onde todos possam participar contribuir com a sua parcela de genialidade.

Se quiser saber mais,  leia o artigo da Harvard Business Review e veja o vídeo no TED

_________

Gostou do conteúdo? Continue nos acompanhando no Blog e  no Instagram e fique por dentro de vários assuntos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colha resultados

Solicite um orçamento

Solicite um orçamento