Blog

Ansiedade

Postado dia 19/08/2019
Continue Lendo Mapa mental: pense como Einstein

A ansiedade é uma emoção normal, universal do ser humano. Pode ser benéfica, pois conduz a uma mobilização e preparo para melhor enfrentar situações. Torna-se patológica quando muito intensa ou desproporcional ao estímulo que a originou, ou quando surge sem que haja um motivo para isso.

A ansiedade manifesta-se em diferentes planos: psicológico, fisiológico e comportamental. A ansiedade é uma vivência comum de qualquer ser humano. A sensação se caracteriza por um sentimento difuso, desagradável, e vago de apreensão, frequentemente, acompanhado por sintomas autonômicos, como cefaléia, perspiração, palpitações, aperto no peito e leve desconforto abdominal. A constelação particular de sintomas presentes durante a ansiedade tende a variar entre as pessoas. A ansiedade é uma resposta a uma ameaça desconhecida, interna, vaga ou de origem conflituosa.

ASPECTOS COGNITIVOS DA ANSIEDADE

A percepção da ameaça varia de pessoa para pessoa. Algumas pessoas devido a suas experiências de vida, podem sentir-se ameaçadas facilmente e frequentemente sentir-se-ão ansiosas. Outras pessoas podem sentir uma maior sensação de proteção e segurança. Crescer em um ambiente caótico e inconstante pode levar uma pessoa a concluir que o mundo e as outras pessoas são contínua e constantemente perigosas.

Os pensamentos ansiosos são voltados para o futuro e com frequência preveem catástrofes, iniciando com frequência por “E se…” e terminando com um resultado desastroso. Os pensamentos ansiosos frequentemente incluem também imagens de perigo.

A ansiedade pode ser reduzida tanto através da diminuição da percepção de perigo quanto através do aumento da confiança na capacidade de lidar com as ameaças. Ela pode diminuir se o indivíduo examina as evidências e descobre que o perigo com o qual se deparava não é tão terrível quanto imaginava. Quando ameaças ou perigos encontram-se presentes, é útil descobrir quais estratégias melhor ajudarão o indivíduo a lidar com eles.

SUPERANDO A EVITAÇÃO

A evitação é uma marca registrada da ansiedade. Quando evitamos uma situação difícil, inicialmente experimentamos uma diminuição da ansiedade. Ironicamente, quanto mais evitamos determinada situação, mais ansiosos nos tornamos quando nos deparamos com ela no futuro. Dessa maneira, a evitação a longo prazo, de fato, alimenta a ansiedade, muito embora pareça ajudar a ansiedade em curto prazo. Para superar a ansiedade, é preciso aprender a abordar as situações ou pessoas que evitamos. Aprender a abordar e a lidar com as situações nas quais nos sentimos ansiosos é um modo duradouro e poderoso de eliminar a ansiedade.

REESTRUTURAÇÃO COGNITIVA

A ansiedade pode ser reduzida tanto através da diminuição da percepção de perigo quanto através do aumento da confiança na capacidade de lidar com as ameaças. Ela pode diminuir se o indivíduo examina as evidências e descobre que o perigo com o qual se deparava não é tão terrível quanto imaginava. Quando ameaças ou perigos encontram-se presentes, é útil descobrir quais estratégias melhor ajudarão o indivíduo a lidar com eles.

FÓRMULA DA ANSIEDADE

  • Ansiedade: É um medo excessivo se ocupando de algo que ainda não aconteceu.
    Probabilidade da ocorrência do evento: o avião vai cair – qual é a probabilidade, quando ela está ansiosa, é certo que o avião vai cair. Parece um bicho de 7 cabeças.
  • Aversão: o quanto que para mim é indesejável que isso ocorra. Por exemplo: A ansiedade em uma mulher se separar – como será viver socialmente sem o marido?
  • Numerais: Se a probabilidade de acontecer o que temo é de 100{5e3e551bb1d13a563090340625f41dae16dd6060e3e8efab2a6d02fb3fc9702c} – o numeral na fórmula é 1. Se o índice de aversão é 85{5e3e551bb1d13a563090340625f41dae16dd6060e3e8efab2a6d02fb3fc9702c} coloco 0,85. Parte de baixo é o enfrentamento.
  • Capacidade de enfrentamento: é como se eu não tivesse recursos para enfrentar essa ameaça, esse perigo. Sempre se percebe com menos capacidade do que de fato se tem. Perguntar quanto você era capaz de enfrentar aquele perigo – de 0 a 100{5e3e551bb1d13a563090340625f41dae16dd6060e3e8efab2a6d02fb3fc9702c}
  • Fatores de resgate: você não está sozinho nessa situação: o que ou quem pode te ajudar? Ajuda a pessoa a pensar; a desconstruir. Quem pode te apoiar nisso?
  • Situações de resgate: podem ser situações e não necessariamente pessoas.

A = P x A
        E + R

P = Probabilidade da ocorrência do evento
A = aversão
E = enfrentamento
R = Resgate

*Texto extraído do livro “A mente vencendo o humor”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colha resultados

Solicite um orçamento

Solicite um orçamento